A Fabulosa Trilha de Amelie

Tudo nasceu da vontade de criar um espaço onde cada integrante estivesse em função de um todo. 

Criar músicas, fazer arranjos e expressar toda a experiência  que cada um tem pela música é o que move o Cadeira De Balanço, formado por Gian Correa no Violão de Sete cordas, Henrique Araujo no Cavaco, Enrique Menezes na Flauta, Douglas Alonso na Bateria, e na percussão Rafael Toledo e Léo Rodrigues, esse grupo abusa do uso das percussões, fazendo um delicioso passeio por dinâmicas, intensidades e timbres. Usa também em sua formação o Pifano, instrumento de sopro muito raro nos conjuntos de choro. Depois de 2 anos se apresentando na noite paulistana o grupo decidiu gravar seu primeiro disco e a estréia foi com o CD "Bagunça Generalizada", que chegou ao mercado nacional e internacional através da Choro Music (www.choromusic.com.br). Um novo trabalho vem ai, o Projeto São Paulo Moura

Vem ai um novo trabalho:

São Paulo Moura

O que mais chama a atenção do grupo Cadeira de Balanço na obra do paulista de São José do Rio Preto Paulo Moura é a sua capacidade de combinar o conjunto regional típico dos chorões com um forte aparato de percussão afro-brasileira. Instrumentos da bateria de escola de samba marcam sua presença na montagem das faixas, encaixando-se à formação baixo /bateria típica do jazz. Ritmos tradicionais do Brasil rural como o carimbó e do Brasil urbano como o choro harmonizam-se em faixas de experimentação livre, orquestrando os elementos que serão a receita básica do estilo inaugurado por Paulo Moura.

Paulo Moura foi depurando essa proposta, disco por disco. Em Mistura e Manda tem como campo de experimentação o choro. Chorinho pra você e Chorinho pra ele são os temas que abrem o LP, inteiramente dedicado aos chorões. As formas do choro tradicional, entretanto, estão totalmente abertas à criatividade e à espontaneidade da improvisação, uma marca jazzistica que se desdobra em novas sonoridades e novos timbres. Ao cavaco centrista dos chorões está somado um outro, com afinação de bandolim, mais comum ao samba. Ao pandeiro tradicional soma-se a novidade do repique de mão - criado por Ubirany do grupo Fundo de Quintal – o tam-tam, o ganzá e a caixa de guerra. O resultado é uma combinação de choro, samba, jazz e batucada que o grupo Cadeira de Balanço pretende desenvolver.

© 2018 Rubra Rosa Projetos Culturais Ltda - ME

Rua Padre Antonio Tomás 227/51 - Água Branca 

São Paulo CEP 05003-010

  • Facebook Clean
  • Twitter Clean